Autor: Ronaldo Nunes
•6/19/2015 04:21:00 AM
[créditos da imagem]

Traga-me um Quintana. Traga-me, Mário. Faça de mim teu cigarro... Tão simples e essencial para a vida como os escritos de quem passarinho. Inspiração! Pois na vida os que atravacam nosso caminho passarão, e só os passarinhos ficarão. Cuidemos de nosso jardim, porque em todo caso, a borboleta em sua mais completa ingratidão não nos fere com seu ataque, sua ira parece-nos mais agradável que o beijo amável de um cavalo. Façamos o bem, façamos bem, façamos ao próximo, ao do momento e ao anterior se ainda der tempo. Faça o bem, não importa a quem. E quem de toda incerteza e intempestividade da vida está isento? Quem por mais à frente que esteja pode prever o momento a seguir? Quem sabe em que caminho seguir? Em meio a tantas incertezas e o cricrilar dos grilos, carrego a certeza clichê de que tudo finda, tal qual o cigarro que trago. Por isso, quero na minha lápide o que Mário, o poeta, sugeriu em uma “inscrição para um portão de cemitério”: Na mesma pedra se encontram, / Conforme o povo traduz, / Quando se nasce - uma estrela, / Quando se morre - uma cruz. / Mas quantos que aqui repousam / Hão de emendar-nos assim: / “Ponham-me a cruz no princípio... / E a luz da estrela no fim!".





...Hiato...
Links para esta postagem
Autor: Ronaldo Nunes
•4/25/2014 10:46:00 PM
[créditos da imagem]


Trago-te para o prosaico, quero-te na simplicidade dos dias. Café na cama, caricias na varanda, filminho e cobertor em dias frios. Cubro-te de clichês como manda o figurino. Quero ser teu em praça pública; de mãos dadas até o coreto, sentados lado a lado nas escadas,de lá, zombaremos os transeuntes, debocharemos de todos, pois ali, só nós seremos perfeitos. Amantes de boa vontade, nada nos parecerá mais urgente que a demora de nossos beijos, de nossos abraços... Trataremos com indiferença as guerras do mundo, seremos hippie, nada nos parecerá mais necessário que a paz e o amor. Menina, escolha bem: maçã do amor ou algodão doce? Esqueça o preço, o vendedor é meu amigo. Venha, vamos correr, o trenzinho já vai partir... Voltemos pra casa, coloque aquele filme que não gosto, divida comigo o melhor canto da cama, desagrademo-nos um ao outro um pouquinho, porque amar também é ceder. Sorria quando eu estiver rabugento, diga que estou ficando velho e calvo, afinal, você sabe que a calvície é meu ponto fraco. Faça isso amor, faça! Pois quando tu tiveres ataque de ciúmes eu não discutirei, apenas abrirei as janelas e gritarei para os vizinhos que te amo. Façamos graça de nossas picuinhas diárias, de nossas intrigas desnecessárias, pois somos bem humorados. Façamos tudo em prol da nossa prole. Sejamos bons exemplo. Fióti, acredite em nós, nos nossos planos, deixemos de lado toda insegurança. Estenda a mão, eu te seguro, apoie-me também quando necessário for. O caminho não é fácil, ainda mais estando cego de amor e desorientado de paixão, mas ainda sim, com todas as dificuldades do percurso, penso que devemos caminhar de mãos dadas por aí.





Links para esta postagem
Autor: Ronaldo Nunes
•12/24/2013 09:33:00 PM
[créditos da imagem]

Queria lavar minhas palavras
Torna-las mais belas
Mas a água que lava
É também a que leva

Leve

Sinto-me após tal rito
Falo hoje sereno
Recuso-me ao grito
Reflito
Pessoas eu fito
Tomado por lembranças;
Papai, mamãe e sorrisos...

Momentos

Estes não mais terei.
Vou lavando palavras
Com as lágrimas que nesta folha deixei.







Links para esta postagem
Autor: Ronaldo Nunes
•11/01/2013 10:47:00 PM
[créditos da imagem]


Tu, esse texto vivo, de sentido completo, em que orações emprego, não somente para te descrever, mas também para ter... teu discurso, teu olhar, tua atenção. Tu, que és referência. Musa à qual faço alusão, parafraseio teus olhares, vezes mil irei aludir a ti, e mais, quantas vezes mais, até ver-te sorrir. Não pela graça, mas de graça, sem interesse, sem parodiar meu sentimento. Quero-te, sem plágio, com um sentimento único, fazer com que percebas que eu sem ti sou um texto incompleto.





Links para esta postagem
Autor: Ronaldo Nunes
•9/24/2013 11:34:00 PM
[créditos da imagem]

Lábios de fruta, furta-me a

Vida, inda
Que finda
Bem-vinda
Seja
Perene
Querendo
Sigo
Sereno
Vou sendo
Sedento
Morrendo
Por dentro
E fora
Aflora
Ora
A flora fala

Se rosas assim também fazem
Tomo-lhes a vida
Para expressar sentimento;
Um buquê desfalecido
Para ressuscitar-nos





Links para esta postagem
Autor: Ronaldo Nunes
•9/17/2013 12:14:00 AM
[créditos da imagem]

Sinto-me visita; toda vez que a porta se fecha, é do outro lado que se encontra a chave que gira, do lado de dentro, e eu sempre do lado de fora tentando imaginar como seria girar aquela chave, e deixar trancado do lado de fora toda tristeza que carrego por essa indiferença, por esse tratamento que recebo há anos. Sinto-me deslocado; toda vez que o relógio marca 22h algum despertador natural trata de me avisar que já não mais é hora de permanecer no mesmo lugar. Sinto-me inferiorizado toda vez que abro a porta do lugar onde durmo; porta sem fechadura, apenas cadeado. Subo as escadas de madeira comida por cupins, estendo a rede que serve de cama, “bato” o lençol com o objetivo de encontrar outro bicho além de mim, animal inferiorizado, “bato”, “bato”, não acho... Deito na rede, pensamentos depressivos levantam e fazem ciranda em torno de mim. Olho para o céu, em vão! Telhas em meio a teias de aranha, ou teias em meio a telhas, não sei, tanto faz! Não consigo distinguir... Olho para a parede rósea de pintura inacabada; comecei a pintar, não terminei porque a tinta era sobra e havia terminado. Aranha caranguejeira, ratos, amigos que afrontam, que visitam. Sempre me desentendo com eles... Ligo o computador, penso em algum site de bom conteúdo, procuro por artigos, revistas, entrevistas... e entre essas e outras vistas, me livro do que visto e desvio minha conduta. As palavras que não digo, as poesias que não escrevo, os versos que não leio, tudo, tudo é por minha própria culpa. Entrego-me aos desejos da carne, da carne que não tenho e tanto desejo, e na falta me tenho, me tomo, me toco, me temo. Gozos não de alegria, mas me alegro pelo sono que logo me toma e me impede de continuar o relato








Possível capítulo de um possível romance. Possível...

Links para esta postagem
Autor: Ronaldo Nunes
•9/01/2013 02:09:00 PM
[Banksy]

Louve o Deus da prosperidade
Blasfeme contra o Deus da justiça
Seja alguém na vida
Estude, mas só medicina ou direito (só assim será alguém)
Cuide dos seus
Ignore os dos outros
Ame o próximo
Afaste-se de todos
Viva a vida intensamente
Pare para postar nas redes sociais
Faça juras de amor
Saiba mentir
Escreva poesias
Guarde todas
Passe o dia dormindo
Indigne-se com a morte
Alegre-se em lembrar-se dos tempos de infância
Não queira ter filhos
Leia o que aqui está escrito
Não reflita sobre isso.







Links para esta postagem