Autor: Ronaldo Nunes
•10/04/2010 11:04:00 AM

Através do que faço
Busco meu espaço
Não busco status
Na poesia me perco e me acho
Quando erro refaço
Ouvindo é que se acerta o compasso
Quem ignora lamento, um abraço
Falsidade é “mato”
Indiferença no dia a dia é fato
A amizade é adianto e a inveja atraso
Tem mais Deus pra dar, do que tira o “pela-saco”
Se acha que com as palavras faço teatro
Então dou por encerrado este ato.




Ronaldo Nunes
|
This entry was posted on 10/04/2010 11:04:00 AM and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

0 comentários: