Autor: Ronaldo Nunes
•1/24/2011 12:05:00 PM

Na ausência do dever
Se fez presente o querer
Teto fraco
Telha fraca
O enfraquecido a escrever

Casa vazia
Mente cheia
Mundo cheio
De gente vazia

Tanto sorriso
E pouca alegria
Se ri da desgraça
Enquanto ceifam-se vidas
A hora da partida
É a chegada
Do que já não finda

Sentimento de perda
Casa vazia
Sentimento de perda
Cama vazia
Segue a rotina...

Vida vazia
Tanto vazio
Que me encho
E transbordo...
Bate a saudade que arrepia

Lembrei da tua voz
Lembrei de tua alegria
Lembrei da tua raiva
De tua cara ranzinza

Lembrei e não me esqueço de lembrar
Se esqueci
Foi de uma hora
Pra te esquecer estipular
Sempre lembro
E eu ei de sempre lembrar

Pelo bem de minha vida
Pelo bem que me fazes lembrar
Pelo meu bem
Me lembro bem
Do tão bom
Que é te amar
Amo-te e te amei
E por ti
Sempre conjugarei o verbo AMAR.




Ronaldo Nunes
|
This entry was posted on 1/24/2011 12:05:00 PM and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

2 comentários:

On 24 de janeiro de 2011 12:18 , Carmen Regina Dias disse...

Casa vazia
Mente cheia
Mundo cheio
De gente vazia

Tanto sorriso
E pouco alegria



Mas aqui... dá licença... é muita Poesia.

 
On 25 de janeiro de 2011 12:45 , André Luis de Vasconcelos disse...

Salve guerreiro mais uma bela poesia parabens

"Mundo Cheio de Gente Vazia" Falar o que dessa Frase Parabens novamente