Autor: Ronaldo Nunes
•3/09/2012 04:20:00 PM


Nunca d‘antes enxerguei com tamanha clareza
Como nessa tarde cinza, chuvosa.
Lembranças... Ora, Claro que;
Dos tempos de outrora!

Pensei em nós
Esqueci-me de mim...
Estou a sós,
Mas te sinto aqui

Como pode?

Preciso entender porque cargas d’água
Fui me apaixonar por você
Fonte alva de certezas;
Me cegaste. Por que, por quê?

Pra que entender?
De que vale saber?
Isto só fará sentido
Se não fizer sentido o meu querer

Ter-lhe ao meu lado é o sentido da vida
É a razão das causas...
Ter a tua companhia,
Nos dias de sol ou de chuva... Somente isto me basta.




Ronaldo Nunes
|
This entry was posted on 3/09/2012 04:20:00 PM and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

3 comentários:

On 9 de março de 2012 19:08 , Rosana Rolim de Moura disse...

Maravilhoso...

 
On 9 de março de 2012 21:26 , Michele disse...

Sensível, delicado e encantador. Lindo!

 
On 10 de março de 2012 11:59 , Angelina Miranda disse...

Porque a gente não precisa de respostas...
"Pra que entender?
De que vale saber?
Isto só fará sentido
Se não fizer sentido o meu querer"
Somos a dúvida...