Autor: Ronaldo Nunes
•5/06/2012 09:24:00 PM


-Pois é, me rendi aos encantos da lua! Hoje andei olhando pra ela e de supetão saiu isso: 


Sob uma cortina levemente densa,
lá está a lua!
Imponente,
cheia de vida; brilho. Rainha da noite.
E essa cortina de nuvens, feita a de um teatro;
Abre-se, dá início ao espetáculo.
Silêncio!
Apenas admiremos...
Leve como um balé, melancólica como um drama.
Lua linda, linda lua.
Ainda que haja estrelas, o show é teu!
E neste monólogo, pausa! (...) Silêncio novamente!
Ouçamos a poesia que declamas!
Lua linda, linda lua, enluarada.
-As estrelas que pensávamos pulsar...
... Enganados estávamos-
Palmas! Sim, eram palmas... Palmas em reverência a todo o teu talento.
Por fazer-nos a nós todos, ainda que distantes,
ao teu brilho estarmos atentos.




Ronaldo Nunes
|
This entry was posted on 5/06/2012 09:24:00 PM and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

0 comentários: