Autor: Ronaldo Nunes
•6/25/2012 12:29:00 PM


Há um conforto na música capaz de fazer-me fugir da realidade e ir para um outro lugar, um outro mundo, um mundo melhor, o meu mundo. Neste momento em que, aqui escrevo, sigo no ritmo de uma chanson française, explorando o meu íntimo, desconhecendo a mim mesmo na medida em que vou refletindo... Sou vasto, sou muitos, sou tudo, sou apenas pensamentos, quereres, vontade de ser. Poderia estar por qualquer lugar, fazendo qualquer coisa, mas não na companhia de qualquer um. Sou seletivo, escolho bem quem comigo deve estar. Sou frustrado! (...) Por não ter comigo quem a vida permitiu-me desejar. Sou controverso, me enganei, confundi-lhes, confundi-me, confusões... Esclareço que sou passante, estou por aqui apenas de passagem, olhando a paisagem, fazendo alguns ajustes como aquele colecionador de quadros, que milimetricamente o coloca um pouco mais à direita. Imperceptível! Aos olhos do insensível. Invisível... Assim me sinto. E que assim se sinta também, não o permito! Não se espelhe em mim, não se encontre no que conto, não, não queira nem por um instante ser eu, nem queira que eu seja teu... Amigo, colega, conhecido, amor... Pois eu estou aqui de passagem, e a música que me inspira, também já está acabando...
... saio à francesa.  

                                                                      (Logo outra música virá! E outro poeta também.)




Ronaldo Nunes
|
This entry was posted on 6/25/2012 12:29:00 PM and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

1 comentários:

On 4 de julho de 2012 16:26 , Angelina Miranda disse...

gostei muito desse...