Autor: Ronaldo Nunes
•6/23/2012 04:26:00 PM


Transeuntes
De caminhos que não levam a lugar nenhum
Vagam de um lado para o outro
Chovem no molhado.
Esperam que caia do céu, feito chuva,
Bênçãos do Sempiterno
Do soberano
Rejeitado pelos seus
Ó, poderoso Deus...
Enquanto uns trabalham, outros aí, dando trabalho.
-
Vejo homens no lixo, vivendo do lixo,
Mas lixos não são!
Homens no bem bom
Fazendo o mal.
Homens que se vendem por qualquer real
Daí eu paro e penso... Na moral,
Vovô que estava certo! O velho já dizia:

“Quem não tem valor, pode ter certeza, tem preço!”

Isso é desde o começo
Todos usam os seus meios
Já pensando nos fins
Enfim,
Vejo tudo isso desde “pequeninim”
E se for pra vaguear,
Que eu divague por aqui, “sózim”.



Ronaldo Nunes
|
This entry was posted on 6/23/2012 04:26:00 PM and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

0 comentários: