Autor: Ronaldo Nunes
•1/02/2013 01:31:00 AM


Minha mãe costumava dizer que para se esquecer dos problemas, para tirar os maus pensamentos, pra afastar o medo e a insegurança, tinha por hábito pensar em paisagens calmas, pastos verdejantes, pássaros, cachoeira, natureza... Ela acreditava piamente que Deus estava ali, e que tudo fora criado com amor, Deus era (é) amor. Mamãe confidenciava-me escutar os sons dos pássaros, da água corrente, mentalizava cores vivas, intensas, das mais variadas. Por vezes peguei mamãe à noite com os olhos fechados em um silêncio profundo, mas sempre sensível a minha chegada esboçando um leve sorriso, acalmava-me.  Recordo-me bem disso, lembro-me de quantas vezes eu também fechei os olhos para imaginar belas paisagens. Lembrei, assim como também me recordo da última coisa que ela disse a mim... Mas isto, não digo. Depois, forçaram-na a ficar de olhos abertos, estarrecidos, assustados pelo o que o destino lhe preparara. E eu, Também olhei. Olhei, e nem tive tempo de fechar os olhos pra imaginar um lugar melhor. Daí, ela fechou os olhos, não mais abriu... Desta vez, sentiu-se demasiadamente encantada pela paisagem e mais perto de Deus.




|
This entry was posted on 1/02/2013 01:31:00 AM and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

2 comentários:

On 2 de janeiro de 2013 13:25 , Angelina Miranda disse...

Lindo. Não há muito o que dizer... Belissímas palavras.

 
On 9 de agosto de 2014 21:15 , nataliane chaves disse...

Lindo!