Autor: Ronaldo Nunes
•5/21/2013 04:35:00 PM

[créditos da imagem]

Se toda beleza finda
E o sol não aquece incessante
Se toda tristeza de eterna é travestida                           
Desmascaremo-la doravante

Fugiremos da constância
Do acreditar no imutável
Tudo é transitivo
E só a inconstância é estável

Gregório que me perdoe
Mas os escritos reverberam novos poetas
E quem não aceita a inconstância dos ventos
Cuide de não deixar as janelas abertas.





|
This entry was posted on 5/21/2013 04:35:00 PM and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

0 comentários: