Autor: Ronaldo Nunes
•9/24/2013 11:34:00 PM
[créditos da imagem]

Lábios de fruta, furta-me a

Vida, inda
Que finda
Bem-vinda
Seja
Perene
Querendo
Sigo
Sereno
Vou sendo
Sedento
Morrendo
Por dentro
E fora
Aflora
Ora
A flora fala

Se rosas assim também fazem
Tomo-lhes a vida
Para expressar sentimento;
Um buquê desfalecido
Para ressuscitar-nos





Links para esta postagem
Autor: Ronaldo Nunes
•9/17/2013 12:14:00 AM
[créditos da imagem]

Sinto-me visita; toda vez que a porta se fecha, é do outro lado que se encontra a chave que gira, do lado de dentro, e eu sempre do lado de fora tentando imaginar como seria girar aquela chave, e deixar trancado do lado de fora toda tristeza que carrego por essa indiferença, por esse tratamento que recebo há anos. Sinto-me deslocado; toda vez que o relógio marca 22h algum despertador natural trata de me avisar que já não mais é hora de permanecer no mesmo lugar. Sinto-me inferiorizado toda vez que abro a porta do lugar onde durmo; porta sem fechadura, apenas cadeado. Subo as escadas de madeira comida por cupins, estendo a rede que serve de cama, “bato” o lençol com o objetivo de encontrar outro bicho além de mim, animal inferiorizado, “bato”, “bato”, não acho... Deito na rede, pensamentos depressivos levantam e fazem ciranda em torno de mim. Olho para o céu, em vão! Telhas em meio a teias de aranha, ou teias em meio a telhas, não sei, tanto faz! Não consigo distinguir... Olho para a parede rósea de pintura inacabada; comecei a pintar, não terminei porque a tinta era sobra e havia terminado. Aranha caranguejeira, ratos, amigos que afrontam, que visitam. Sempre me desentendo com eles... Ligo o computador, penso em algum site de bom conteúdo, procuro por artigos, revistas, entrevistas... e entre essas e outras vistas, me livro do que visto e desvio minha conduta. As palavras que não digo, as poesias que não escrevo, os versos que não leio, tudo, tudo é por minha própria culpa. Entrego-me aos desejos da carne, da carne que não tenho e tanto desejo, e na falta me tenho, me tomo, me toco, me temo. Gozos não de alegria, mas me alegro pelo sono que logo me toma e me impede de continuar o relato








Possível capítulo de um possível romance. Possível...

Links para esta postagem
Autor: Ronaldo Nunes
•9/01/2013 02:09:00 PM
[Banksy]

Louve o Deus da prosperidade
Blasfeme contra o Deus da justiça
Seja alguém na vida
Estude, mas só medicina ou direito (só assim será alguém)
Cuide dos seus
Ignore os dos outros
Ame o próximo
Afaste-se de todos
Viva a vida intensamente
Pare para postar nas redes sociais
Faça juras de amor
Saiba mentir
Escreva poesias
Guarde todas
Passe o dia dormindo
Indigne-se com a morte
Alegre-se em lembrar-se dos tempos de infância
Não queira ter filhos
Leia o que aqui está escrito
Não reflita sobre isso.







Links para esta postagem