Autor: Ronaldo Nunes
•9/17/2013 12:14:00 AM
[créditos da imagem]

Sinto-me visita; toda vez que a porta se fecha, é do outro lado que se encontra a chave que gira, do lado de dentro, e eu sempre do lado de fora tentando imaginar como seria girar aquela chave, e deixar trancado do lado de fora toda tristeza que carrego por essa indiferença, por esse tratamento que recebo há anos. Sinto-me deslocado; toda vez que o relógio marca 22h algum despertador natural trata de me avisar que já não mais é hora de permanecer no mesmo lugar. Sinto-me inferiorizado toda vez que abro a porta do lugar onde durmo; porta sem fechadura, apenas cadeado. Subo as escadas de madeira comida por cupins, estendo a rede que serve de cama, “bato” o lençol com o objetivo de encontrar outro bicho além de mim, animal inferiorizado, “bato”, “bato”, não acho... Deito na rede, pensamentos depressivos levantam e fazem ciranda em torno de mim. Olho para o céu, em vão! Telhas em meio a teias de aranha, ou teias em meio a telhas, não sei, tanto faz! Não consigo distinguir... Olho para a parede rósea de pintura inacabada; comecei a pintar, não terminei porque a tinta era sobra e havia terminado. Aranha caranguejeira, ratos, amigos que afrontam, que visitam. Sempre me desentendo com eles... Ligo o computador, penso em algum site de bom conteúdo, procuro por artigos, revistas, entrevistas... e entre essas e outras vistas, me livro do que visto e desvio minha conduta. As palavras que não digo, as poesias que não escrevo, os versos que não leio, tudo, tudo é por minha própria culpa. Entrego-me aos desejos da carne, da carne que não tenho e tanto desejo, e na falta me tenho, me tomo, me toco, me temo. Gozos não de alegria, mas me alegro pelo sono que logo me toma e me impede de continuar o relato








Possível capítulo de um possível romance. Possível...

|
This entry was posted on 9/17/2013 12:14:00 AM and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

1 comentários:

On 18 de setembro de 2013 22:23 , Fanzine Episódio Cultural disse...

“IX CONCURSO PLÍNIO MOTTA DE POESIAS”

A Academia Machadense de Letras (Machado-MG / Brasil) comunica a realização em novembro de 2013 de seu “IX Concurso Plínio Motta de Poesias”. As inscrições encerram-se no dia 14 de outubro (2013).
Para receber gratuitamente o regulamento em arquivo PDF, e outras informações, entre em contato através do e-mail: machadocultural@gmail.com

Obs: O tema é livre e aberto a todos de Língua Portuguesa e Espanhola. A taxa de inscrição é de R$5,00 pode ser enviada dentro do envelope. Favor verificar o recebimento do regulamento em pdf e jpeg.
O concurso será realizado no dia 09 de novembro, às 20:00hs no Anfiteatro da Prefeitura Municipal de Machado-MG.

Caso sua poesia (que não precisa ser inédita) seja classificada e você não puder aparecer, a Academia indicará um membro para declamá-la.