Autor: Ronaldo Nunes
•4/25/2014 10:46:00 PM
[créditos da imagem]


Trago-te para o prosaico, quero-te na simplicidade dos dias. Café na cama, caricias na varanda, filminho e cobertor em dias frios. Cubro-te de clichês como manda o figurino. Quero ser teu em praça pública; de mãos dadas até o coreto, sentados lado a lado nas escadas,de lá, zombaremos os transeuntes, debocharemos de todos, pois ali, só nós seremos perfeitos. Amantes de boa vontade, nada nos parecerá mais urgente que a demora de nossos beijos, de nossos abraços... Trataremos com indiferença as guerras do mundo, seremos hippie, nada nos parecerá mais necessário que a paz e o amor. Menina, escolha bem: maçã do amor ou algodão doce? Esqueça o preço, o vendedor é meu amigo. Venha, vamos correr, o trenzinho já vai partir... Voltemos pra casa, coloque aquele filme que não gosto, divida comigo o melhor canto da cama, desagrademo-nos um ao outro um pouquinho, porque amar também é ceder. Sorria quando eu estiver rabugento, diga que estou ficando velho e calvo, afinal, você sabe que a calvície é meu ponto fraco. Faça isso amor, faça! Pois quando tu tiveres ataque de ciúmes eu não discutirei, apenas abrirei as janelas e gritarei para os vizinhos que te amo. Façamos graça de nossas picuinhas diárias, de nossas intrigas desnecessárias, pois somos bem humorados. Façamos tudo em prol da nossa prole. Sejamos bons exemplo. Fióti, acredite em nós, nos nossos planos, deixemos de lado toda insegurança. Estenda a mão, eu te seguro, apoie-me também quando necessário for. O caminho não é fácil, ainda mais estando cego de amor e desorientado de paixão, mas ainda sim, com todas as dificuldades do percurso, penso que devemos caminhar de mãos dadas por aí.





Links para esta postagem